comunista desejosa de glamour hollywoodiano. anarquista com apego material a coisas emocionais. plagiadora que exige direitos autorais



sexta-feira, 14 de março de 2008

canção bandeirosa irracional nº...

Se um dia eu me matar
Jogando o secador elétrico na banheira
Pulando no fosso do metrô
Me jogando do alto do Acaiaca e caindo
Em pleno cruzamento, estatelada
Cortando os pulsos
Tomando veneno mortal
Empurrando a arcada superior pra cima
E a inferior pra baixo
Assim...
Seria cômico.
Sabe como é
Existe uma bigorna que amarrei no teto
Amarrada por uma corda
Que vai sendo queimada por uma vela
que aos poucos vai desfazendo-a enquanto
Saboreio os ultimos momentos de minha vida cruel
Antes,
Que o pedaço de aço maciço comprima minha cabeça contra mim mesma
O vento que entra da minha janela
Sempre escancarada
vai apagar a vela inumeras vezes
talvez a campainha toque
e eu corra esperançosa pra abrir
e é nesse momento que a bigorna cai
atravessa o chão de meu apartamento
e mata a velhinha do andar de baixo
remember to let her under your skin then you´ll begin to make it better
better better better better betteraaaaaaaaaaaaaaaaahuuuuhaaahhhhhhná...nanananananáhhhhhhh


é. é que sou filha de Drummond.

3 comentários:

geike disse...

quero tudo isso. haha antes uma morte viva que uma vida morta.

DAYANE disse...

adorei...

Fuckdelis disse...

marta decide morrer